Wonder

22-02-2018

Trabalho realizado pela aluna Sofia Rego, do 8.º Ano, turma C.

Elementos paratextuais

  • Título: Wonder
  • Autora: Raquel Jaramillo Palacio
  • Editora: TRANSWORLD PUBLISHER LTD
  • Ano de edição: 01-2013
  • Páginas: 368

Raquel Jaramillo Palacio

Raquel Jaramillo Palacio filha de pais colombianos, nasceu em Nova York, nos Estados Unidos, em 1969 . Teve uma notável carreira como ilustradora e designer de capa, mas, depois de vinte anos no design, decidiu escrever e ilustrar o seu primeiro livro. Até agora já escreveu alguns livros como Ride, Baby ride; Pluto;Tthe Julian Capter e outros tantos, mas o mais falado foi Wonder, um livro onde se inspirou numa situação real vivida por ela e pelos seus filhos. Este livro foi eleito um dos melhores de 2013 numa apreciação do The New York Times e pela Amazon. 

Reflexão

August nasceu com uma deficiência genética o que fez com que o seu rosto seja completamente deformado. Vários anos e muitas cirurgias depois, August vai, aos 10 anos, enfrentar o maior desafio da sua vida , a escola. Assustado com esta notícia, sabendo dos impactos e o que o seu rosto causa no olhar das outras pessoas, August tomou iniciativa, pois ele desejava ser uma pessoa normal no meio de tantas. No entanto, o seu rosto desfigurado levou-o a ser alvo de bullying na escola. Contudo, a sua força interior vai marcar para sempre todos os que o rodeiam.

Este livro relata uma história emotiva, com um impacto forte e comovente das dificuldades que uma criança tem de superar devido a uma deformação facial. A personagem principal, August, mostra-nos o impacto que consegue causar na vida e no comportamento de todos nomeadamente, família, amigos e comunidade. Mas, na minha opinião, tal só foi possível graças ao apoio incondicional da sua família.

Este livro mostra-nos que nunca devemos julgar e inferiorizar ninguém pelo seu aspeto, pois, apesar de algumas diferenças, somos todos seres humanos e temos ambos os mesmos direitos, isto é, não devemos ser gozados e criticados apenas por não possuirmos o aspeto físico comum, neste caso, o aspeto facial.